Contação de histórias: O urso rabugento (Nick Bland)

Para quem acompanha o blog pode estar lembrado do post que fala sobre os encontros de Contação de Histórias no Golden Shopping aos sábados em todo o mês de maio.

Ainda não tinha tido oportunidade de ir, porém hoje, mesmo com o friozinho, aproveitamos e passamos pela livraria e assistimos a contadora Zenaide Denardi brilhar entre as crianças presentes.

Valeu muito a pena!

Ela conta de uma forma criativa com objetos que lembram os personagens mas não é tão literal, como por exemplo, para representar a ovelha, ela modelou um tufo de algodão… coisa fofa!!!

Vou fazer um outro post para incentivar a leitura do livro contado  para as crianças, e ainda vem com um brinde, pois tem aquele código que se você passa o smartphone, ele conta a história para as crianças. Comprei o livro para o Paulinho e para a Mari por R$ 26,00 mais ou menos…

wpid-20140524_162418.jpg

A tradução do livro é da Gilda de Aquino.

Alguns momentos da contação, mas não ficaram tão boas as fotos, tirei do celular de novo…rsss…perdão, vou me policiar para caprichar mais nessa parte…

wpid-20140524_160915.jpg

No primeiro momento ela contou a história com os objetos previamente preparados… as crianças presentes interagiam bastante… entenderam e gostaram da história.

wpid-20140524_162056.jpg

Após contar, ela mostrou o livro com a história e as imagens… as crianças ficaram super eufóricas, principalmente o Paulinho…rsssss….

wpid-20140524_162301.jpg

Foi bem divertido!

Espero que tenham gostado! Em breve posto uma impressão da história para vocês decidirem se querem ler também ou contar para os alunos, filhos, sobrinhos…

Feliz ano novo sempre!

Renata

Boa tarde!

Imagina:

Uma grande praça circular com vários bancos de madeira escura espaçados entre si de forma linear e que tem ao centro um grande chafariz de cerâmica, todo branco, onde flui uma água limpa e cristalina, que faz a alegria de crianças e pequenos pássaros que por ali sobrevoam.

O chafariz branco, como neve, contrasta muito com a grama tão verde que temos em toda a grande praça e várias pessoas por ali circulam, conversam e compram pipoca do lendário e enigmático pipoqueiro que sempre esteve por ali, viu tudo acontecer, muitas crianças crescerem e hoje são os pais das que brincam no pequeno parque de areia e poucos brinquedos, que fica ao lado do chafariz.

Parece que neste local o tempo não passa.

O sol sempre brilha e a esperança no porvir se renova.

Mas, nem sempre foi assim…

Se você leu até aqui: obrigada por imaginar comigo!!

Gostou? Comenta ai…

 

Feliz ano novo sempre!

Renata – escrevendo …