#Ostentação: Lavanderias maravilhosas…

Que eu queria ter para mim… mas posso pegar uma ideia aqui e um detalhe ali…

Lindas! Maravilhosas…!

Vou pegar muitas dicas a partir dessas fotos para nas férias que já vem chegando para mim… mais um pouquinho…rsss… tentar organizar de verdade minha lavanderia que não tem estilo, nem nada…kkkk!!!

Preparados? Então vamos lá!!

Se serviu de inspiração para você também, comente por aqui… beijocas!

Olha a cor dessa máquina de lavaar, gente!!! 

Essas cestinhas são realmente muito boas organizadoras para qualquer ambiente…

Prateleiras aramadas são práticas!

Espaço reduzido mas muito bem aproveitado!

Abrem-se nuvens, raia o Sol, chove a chuva e brilha a estrelinha!!!!

Fofura sem tamanho!!

Estilo!

Lindo!

Espero que tenham gostado das dicas! Estou ficando viciada no Pinterest pela dica da Grazi, do blog Linda e Vaidosa!!! Todas as imagens são de lá… e clicando nas fotos vamos a mais fotos, mais blogs, e ficamos ricas de informações!!! kkkk!!! Não tem fim.

Comentem ai certo?

Feliz ano todo!

Renata

Learned English – inspiração para não desistir de tentar…

Quem é da música ou da educação já ouviu falar da Elvira Souza Lima, que é pesquisadora em desenvolvimento humano, com formação em neurociências, antropologia, música e psicologia.

A página dela no Facebook, para quem quiser conhecer mais sobre o trabalho dela está linkado aqui, certo?

Enfim, ela colocou um post sobre aprender inglês que me deixou mais aliviada…rsss… parei um pouco de treinar e também com o Duolingo, mas pretendo voltar em breve… férias chega logo…!!! rss…

Vou deixar aqui o que ela escreveu e espero que inspire vocês também. Beijocas e feliz ano todo!!!

“Fafá me escreve perguntando se os neurônios dela estão muito velhos para aprender inglês. Muita gente reclama de não conseguir aprender inglês. Qualquer língua que decidirmos aprender depende de formar memórias, evidentemente. Por onde começar? Desenvolva sua memória auditiva da língua. Eu faço o seguinte: pego uns filmes de enredo simples com situações cotidianas e assisto muitas e muitas vezes. Sem legenda. Isto vai formando as sentenças em nossa mente e aos poucos começamos a reconhecer uma palavra aqui, outra ali e daí para sentenças. Para aprender alemão, que é o que eu preciso fazer antes que nasça um neto que vai falar uma língua que eu não conheço (minha filha é casada com alemão) eu fico assistindo Sissi, Sissi a imperatriz e a vida de Schubert. Cria-se, assim, um contexto sonoro na mente. Comece e insista em estudar a língua a partir dos verbos, sempre os verbos de ação. E escreva. Escrever mobiliza todas as áreas do cérebro envolvidas na compreensão da leitura.
Trabalhe muito com o presente, passado simples e futuro. Depois passe para tempos mais complexos. E é bom gravar e ouvir a si mesmo. Não há neurônio velho, é uma questão de método e prática diária. Podemos aprender muito com a plasticidade que temos em nosso cérebro. Mesmo com 5,6 ou 7 décadas nas costas…
Good luck, Fafá. Go ahead!”

Áureos anos…

Fui criança nos anos 80.

E nessa época uma bonequinha muito fofa era o alvo da meninada.

As fofoletes:

Não eram lindas e realmente fofas?

Vinha nessa caixinha parecida com caixinha de fósforo e era muito legal abrir e brincar com  as pequeninas…

Contei isso para uma turminha da escola, há alguns anos atrás, para crianças de 6 anos, compartilhando minhas memórias afetivas com bonecas…

No outro dia, exatamente no outro dia, uma linda garota, minha aluna Jéssica, aparece com uma fofolete na caixinha para mim… acreditam?

Ela sentiu a emoção que eu compartilhei e não sei como ela fez para no outro dia de manhã estar com a bonequinha na escola para me entregar…

Eu não aguentei a emoção: chorei…

É por essas e outras que ainda resistimos bravamente…

Só uma historinha fofa… obrigada por estar sempre por aqui…

Beijocas,

Renata – feliz ano todo!

Um tempero a mais…

É muito difícil agradar aos paladares infantis, concordam comigo?

Ao mesmo tempo que a comida deve ser nutritiva, cheia de vitaminas, proteína e afins, deve ser agradável aos olhos infantis que a vê. Não é mesmo?

Aqui o caso foi sério há uns três anos atrás, quando eu tinha um pequeno garoto de três anos que comia de tudo e de repente o menino não queria saber de mais nada e só comer arroz puro… Fiquei um pouco estarrecida… fiquei desnorteada… mas conversando com a minha mãe, com a pediatra e com uma querida amiga, fui me acalmando e tentando entender o lado dele… que aos poucos foi voltando a comer normalmente, como todo ser humano , porém disse adeus a muitos legumes que ele comia muito bem… Disfarço ainda um ou outro, confesso aqui… sigo umas dicas de disfarce em feijão e também  falo que salmão é frango laranja…kkkk!!!! Enfim… quem nunca?

 

Espero um dia apenas na conversa de que o alimento é nutritivo, saudável e essas coisas boas de comida ser ele possa se contentar e comer por si só! Experimentar…

Ele até faz um esforcinho de experimentar um ou outro… mas às vezes não compensa…o resultado muitas vezes é catastrófico… então vou disfarçando…

Alguém faz o mesmo ai?

Vamos trocar idéias?

Beijocas… ah, não falei da Mari por que ela come de TUDO!!!

Renata