Organização da casa

Ou… Prioridade nossa de cada dia.

Pessoal, estou precisando de muita inspiração…rsss!!!

Tenho que deixar meu lar limpo, bonito e organizado, como uma boa dona de casa (que sou também). Faço o que posso, às vezes me canso de tentar, continuo tentando, às vezes me animo … mas ainda sim não fica “aquela Brastemp” e o trabalho não desanima, ele está sempre ali, te olhando: Oi, estou aqui.

Como vocês se organizam para arrumar a casa?

Tem alguma tabela de tarefas? Conseguem dividir por semana as tarefas ou faz tudo em um dia só?

Andei pesquisando… rssss… sério… pesquisei sobre organização do lar, porque apesar de tudo faz pouco tempo que me dedico em uma parte do dia ao lar. Então também é questão de costume, de como fazer para melhorar, dicas de mãe, ver vídeos do youtube…kkkk….

A situação fica assim: tenho que conviver com os brinquedos. É uma situação muito delicada, sabiam? Já falei em um post como organizo esses brinquedos. No dia a dia, é uma re-combinação sem fim com os filhos… falem mamães…!

Vou postar algumas imagens pesquisadas  para apreciação e incentivo de força para todas nós:

Animaram-se? Vamos a algumas tabelas para limpeza da casa?

1- Lar em ordem

2-Faz fácil (dicas para quem mora sozinho, também!)

3- Limpeza e Organização do lar

Pessoal, vamos nos unir com boas ideias para o nosso trabalho de cada dia!

Fiquem com imagens que fiz para que vocês vejam que eu tenho empenho…kkkkkkk!!!!

Beijocas,

Feliz ano novo sempre!!!

Renata – que quer que dê certo!

 

Organizando os brinquedos dos filhos

É com muita relutância que inicio esse post…
Acho que ainda não estou preparada para ele!
Mas, acho que em parte tenho a teoria de como fazer dar certo…entendem… não que para mim esteja 100 por cento, mas acho que consegui chegar nos 80 por cento.
Quando eles são bebês, quase não temos brinquedos em casa e o que temos são tão pouquinhos que cabem numa gavetinha, não é mesmo?
Mas, aí, chega o primeiro aninho… aniversário, festa, presentes, e a maioria dos presentes são brinquedos, não é mesmo…
Seu filhinho vai ficando mais velho, mais esperto, conhecendo mais personagens infantis, você acha fofo e compra, ele também ganha muita coisa, e … você já sabe o final da história, muito brinquedo acumulado, espalhado pela casa e sem lugar definido para guardar. É assim que acontece…
Porém, nem tudo está perdido!
A organização independe do tamanho da sua casa… mas quanto maior sua casa é, mais espaço para armazenar você terá, ou acumular? Bom, não sei…rssss…!
Inicie a sua organização planejando o seguinte:
1- O que ele não usa mais? Vai para doação.
Muitas escolas, creches, orfanatos, aceitam doações de brinquedos usados para as atividades de recreação com as crianças que frequentam o estabelecimento. Podem acreditar, nesses locais, brinquedo nunca é demais.
2- O próximo passo separar por categorias todos os brinquedos. Por exemplo: carrinhos hot wheels, numa caixa, bonequinhos em outra caixa, trenzinhos, em outra caixa, bonecas, no meu caso agora, tenho os dois gêneros infantis em casa, e a menina ama bonecas, carrinhos de bonecas, panelinhas, escovas, barbies, todas essas coisas… enfim. Categorizar e separar em caixas. Acho que aquelas caixas plásticas organizadoras são as melhores, porque tem tampas e um espaço adequado ao tamanho do que vai ser guardado. Você pode comprar grandes para brinquedos maiores e pequenas e médias para brinquedos menores. Vale também sacolinhas e caixinhas de papelão duro, fofas…sabem como é?
3- Nesta etapa, o que vai contar agora são os combinados a serem feitos com as crianças. Você deve combinar que quando pegamos a caixa do Lego, por exemplo, devemos antes guardar a caixa dos trenzinhos. E sempre que terminar a brincadeira devemos devolver na caixa tudo o que pertence a ela. Bom, esta é a etapa principal…rssss… Ir revezando por semana as brincadeiras, ou a cada quinzena… não sei, depende do quanto a criança gosta de determinado
brinquedo.
Eu estou caminhando… acredito que dessa forma vamos conseguir organizar a casa, sem aquela tensão de ter sempre que estar tudo impecável. Com criança em casa não é assim… temos que ter organização mas sempre em equilíbrio. Concordam?

Vou deixar aqui uma ideia de como eu venho organizando… sugestão, certo?

DSCN3473

Quebra-cabeças, letrinhas plásticas e em e.v.a., lápis coloridos…

DSCN3474

carrinhos hot whells, carrinhos pequenos, bonequinhos plásticos….

DSCN3476

bonecas, aleatórios, carrinhos de bebês…rssss…..

Uma coisa que não mostrei em foto: a coleção do Thomas e seus amigos do Paulinho… ela está sempre em movimento, não consigo organizar…sorry!!! Os livrinhos infantis para leitura, cadernos de desenho, material de lição de casa, em outro espaço (armário).
Qual é a sua forma de organizar os brinquedos das crianças? Compartilhe comigo. Escreva ai nos comentários!

Feliz ano novo! Beijocas!!!

Profissão mamãe? Sim ou Não? Eis a questão!! – parte 1

DSC07214

Olá! Tudo bem com vocês?

No post de hoje vou abordar um tema que para mim e muitas outras mulheres é muito delicado falar pois envolve entre outras coisas:

– nossa auto-estima;

-nosso lugar ao sol;

-nossas contas para pagar no fim de todo mês;

– nossa vida social.

Mas, o que mais é levado em consideração no fim de tudo isso: os nossos filhos!

Outro dia uma amiga muito querida compartilhou um texto sobre esse assunto de uma ex – executiva que levava uma vida  agitada e quase não conseguia conviver com seu filho. Hoje ela está vivendo no exterior, pediu demissão do seu super emprego e cuida em tempo integral de sua família! Sonho de consumo, não é mesmo? Ou não?!

Quando gostamos da nossa profissão, trabalhar é a realização de toda uma preparação que fizemos e que colhemos em forma de salário e realização a nossa recompensa. Concordam?

Pois bem, mas nós mulheres, por mais que hoje em dia, compartilhamos as responsabilidades com nossos maridos, cabe a nós uma grande parte da criação dos filhos.

Outro blog que sigo e retrata bem esta situação é o “Padecer na Internet” da Rita Lisauskas. Inclusive no último post que li, ela fala uma situação bem comum das mães que trabalham fora o dia todo, que é a situação de ver o filho dormindo quando chega e dormindo quando sai de casa.

Meus filhos vieram quando eu já tinha 34 anos e 37 anos respectivamente.

Já tinha toda uma experiência dentro da minha profissão, o que me garantiu viver algumas funções dentro do setor (digamos assim..).

Certo, mesmo vivendo uma fase em ascensão e tendo tido algumas oportunidades, sendo uma pessoa assalariada, com um dia a dia comum, abdiquei nesta fase do crescimento deles, continuar vivendo aquela evolução funcional.

Tenho para mim uma frase que ouvi uma certa vez, não sei quem escreveu, se alguém souber me fala ai nos comentários): “criança é um ser mágico que convive um tempo conosco e de repente desaparece” … ou seja, num abrir e piscar de olhos as crianças crescem e se tornam adultos independentes que não precisam mais dos nossos beijos, cuidados, colinhos, carinhos e cosquinhas… enquanto o nosso emprego, nosso fazer, nossa preparação, vai estar sempre conosco.

Tenho um outro exemplo fantástico para compartilhar com vocês e acho que vocês vão adorar!

Uma amiga, essa mesma que compartilhou o texto que comentei no início do post, também vivencia essa experiência de abdicar um emprego formal em função dos seus filhos. Uma ótima profissional na sua área, vivendo a plenitude da sua profissão! Ela concordou em contar aqui em forma de depoimento tudo o que essa experiência tem trazido para ela. Inclusive agora, ela tem um trabalho com artesanato que vale a pena conferir, viu? De primeira qualidade. Ela tem uma página no Facebook onde compartilha sua arte, suas histórias, seus pensamentos: Tutti Le Art. Vale a pena conferir a página e ler até o final seu depoimento.

PS: Como essa introdução ficou grande, colocarei a parte 2 com o depoimento da Andréa, amanhã, no dia do meu aniversário, ok? Prestigiem!!!

Feliz Ano Novo!!! Beijocas da Renata.