Memórias!

Esses dias recebi uma relíquia muito especial da minha tia Gi! Ela me entregou um caderno de poemas e textos do meu pai. Detalhe, meu pai morreu em 1977. Eu tinha 3 anos! Ela guardou na casa dela durante esse tempo, e quando viu que era hora me entregou… Eu comecei a ler o caderno e me identifiquei muito com cada palavra que ele escreve… não sei se vou compartilhar todas, mas essa em especial eu vou compartilhar.

Ele fez para mim. Na época do meu nascimento não existia ultrassom para saber o sexo do bebê, então ele fez um poema bem especial!

A única coisa que eu fiquei um tanto frustrada é porque ele não coloca data em nenhum momento… você percebe que muda a letra, muda o contexto, mas não sei identificar com exatidão cada poema, poderia ter colocado a data… !

Preparados?

Aí vai:

Ao meu filho

Nenê,

Você vai crescer

Vai saber das coisas…

Por certo até triste

Você vai ficar

Quando ver a dor

Sem poder dar jeito.

Mas não se incomode

Que esta dor morre.

Já morreram tantas…

Mas não se acomode,

Nenê, que outra vem,

Melhor ou pior

Que a outra, nenê.

Você vai crescendo

E talvez cresça tanto,

Que supere tudo

Quanto é dor nenê;

Tudo ao seu jeito,

Deixando ao redor

Tudo azul, nenê.

Nenê eu só temo

Que a esse tempo

O azul de você

Não o seja prá mim.

Feliz ano Todo!!! Muito azul para todos nós!!!

Renata

História de mãe – Sandra Mandarano

Historinha de mãe da minha amiga,  mãe coruja assumidíssima Sandra, do seu filhote Enzo… Vale a pena conferir!!!

“AMO DEMAIS (e MUITO) TUDO ISSO !!!!!!!!!

Papai vai à cozinha tomar café. Enzo Matteo vai atrás, observa e fala:
– Pai, quero “quezo” (queijo).
Papai responde :
– Tem certeza, meu filho ? (kkkkk)
Enzo diz novamente :
– Que-ro “QUE-zO” – falando pausadamente e mais alto…e observa o pai.
Enquanto isso o papai está ocupado : pega o leite, coloca adoçante, toma o café….e depois de talvez 1 ou 2 minutos guarda o leite na geladeira e então, pega o queijo.
Cortou um pedaço e deu na mão do Enzo, que insatisfeito diz:
– Não pai, no “pato” !!! (prato).
O papai pega o prato do Mickey e antes que colocasse o pedaço de queijo no prato Enzo dispara:
– Esse não, papai ! O do Carros !!!
E eu só ouvindo …. kkkkkkkkkkk (A esta altura eu saí da cozinha e fui pra sala)
Papai então, corta o pedaço do queijo em 3 pedacinhos e coloca no prato do Carros… e de lá da cozinha fala pra mim:
– San, o Enzo está ficando cheio de preferências !!!!!
E eu ouvindo (kkkkkk)…
Enzo pega o seu prato, senta-se na poltrona da sala me fazendo companhia, come rapidamente os três PEQUENINOS pedaços e fala:
– Mamãe, queo (quero) mais !!!!!!
– Filho, pede pro papai ! – mamãe responde.
– Não mamãe, vc pega ! Papai tá “tabaiando” (trabalhando)
E mamãe que tinha ACABADO de sentar-se, NÃO PENSA EM NADA (rs) e vai à cozinha providenciar o queijinho do filho… e é claro que Enzo foi atrás de mim…rs
AMO DEMAIS (e MUITO) TUDO ISSO !!!!!!!!!”

Você não acha isso a coisa mais fofa do mundo?

Esta vida vale muito a pena!!!

Feliz ano novo todo dia!!! Beijocas mil!!!

Renata

Fofurices do dia a dia…

DSCN3488[1]

Tenho uns caderninhos de registro  das fofurices do Paulinho e da Mari.

Como o Paulinho é o primogênito tive até tempo de fazer um Diário da gravidez, que ganhei das queridas Renata( respiroexcel.wordpress.com) e Fernanda(eucurtiestelivro.blogspot.com) e nele registrava os sentimentos da gravidez até os 3 meses do bebê Paulinho. Fiz tudo direitinho… Depois passei para o caderninho preto e escrevia tudo do dia a dia do garoto até os 9 meses.

A seguir, passei a registrar o quanto de palavras que ele dizia e como pronunciava cada palavrinha. Agora registro frases espontâneas, inesperadas, que ele fala que nem eu sei como ele teve aquela ideia, como ele pensou daquele jeito.

O caderno amarelinho é o caderno de registro dos convidados da festa de 1 aninho do Paulinho e da Mari…rssss… cada um colocou uma homenagem para eles que sempre que  releio, choro com tanto amor e carinho.

Com a Mari, a vida ficou mais corrida, mas também arrumei um tempinho para escrever no caderninho da Moranguinho… vou registrando mês a mês a evolução que ela faz, palavrinhas ditas e situações engraçadas.

É muito gostoso reler tudo depois de um tempo, como uma fotografia textual… você revive tudo!

Vou colocar aqui um exemplo do que eu escrevia  quando o Paulinho tinha 1 mês:

“A vovó vem todos os dias às 10 horas te dar banho.

Você chora e grita o tempo todo…rsss

Só para de chorar quando está completamente vestido.

Te amo Paulinho.” agosto/2008.

Todo dia escrevia alguma coisinha assim para marcar o dia.

Agora um trechinho de exemplo do que eu escrevo da Mari:

“Desde ontem (24/10), você tem ficado mais tempo acordada sem chorar para mamar!

Acho que está crescendo…!” – detalhe: ela nasceu em 08/10…rssss… coisas de mãe coruja, não reparem…

Também colo no caderninho, primeira vez no cinema, primeiro ingresso da Bienal, toda primeira vez …registrado…kkkkk….. é gostoso!!!

Beijocas a todos, desculpem a nostalgia…uma das minhas metas é diminui-la!

Por isso o blog né: Feliz ano novo todo dia!!!!!!

Renata.