#Dica de leitura: Família Alegria

Ficha técnica:

Título: Família Alegria
Autor: Cristina VillaÇa
Ilustração: Carla Irusta
Editora: Escrita fina
Edição: 1
Ano: 2011
Idioma: Português
Especificações: Brochura | 28 páginas
ISBN: 978-85-6387-737-6
Peso: 160g
Dimensões: 210mm x 240mm

Sinopse:

Nuno e Nina moram numa casa muito bonita e cheia de gente, onde também vivem pai e mãe, avô e avó, bichos e várias outras coisas bacanas. A casa toda é como um ninho, e o livro mostra aos pequenos leitores vários tipos de casas e de ninhos mundo afora. Alguns parecidos, outros muito diferentes do espaço que acolhe a Família Alegria. Entre as ‘casas’, a toca do tatu, a areia do siri, pessoas que moram na roça, na vila, na taba e na praia. Até quem não tem onde morar. Dirigido aos pequenos leitores, este livro empreende uma viagem porta adentro de casas as mais diversas. Assim, procura estimular os pequenos a refletir sobre questões do dia a dia, presentes na construção da cidadania.

Fonte:Livraria da Folha

Fazer essa  leitura com minha turma de 4 anos na hora da roda de história a partir dessas belas palavras da autora nos fez refletir bastante… Mas ainda não terminou… Vamos ler mais vezes… Este livro faz parte do acervo da escola e apesar de ser  realmente uma leitura cheia de conteúdos interessantes para trabalharmos com as crianças (família, tipos de moradia, povos, diversidade cultural) podemos fazer a leitura de fruição, pois é uma bela história de uma família comum e feliz, como tantas outras por ai e as crianças se identificam.

A história tem um ritmo cadenciado, cantado e poético!

A melhor citação: “Toda casa é um ninho!”

Faz a gente perceber o aconchego, o carinho, que o lar e a família passam para todos! E tem também citação para quem não tem… E aí as crianças pensam e  transbordam:

_Prô, vou levar ele para minha casa!

_Coitado, cadê a mãe dele?

_ Tem que fazer uma comida para ele!

E, eu, ouvindo todas essas soluções e estratégias me vejo privilegiada por ser rodeada com tanto amor e ter a certeza que a humanidade ainda tem chances.

Beijocas,

Feliz ano todo!

Renata