#PHpoemaday-Dia 18: Só diálogos

– É por aqui, vamos!

_ Tem certeza que não será perigoso?

_ Certeza, não tenho, não… mas vai valer a pena depois que conseguirmos pegar os ovos do falcão. Vale muito dinheiro!

_ Naquela montanha ali, é?

_ Ouviu isso?

_ Ouvi e me arrepiou… eu disse pra gente vir de dia, de noite eu tenho muito medo…

_Agora estamos mais perto do que longe, continua andar.

_ Quer saber? Isso não é vida não… vou embora.

_ Vai me deixar nessa mata escura? Tá chegando.

_ Coitado do falcão. Não vou tirar a família dele não… não vou pegar o ninho não…

_ Depois de hoje, não fazemos mais. Pegamos a grana e montamos uma venda lá no bairro.

_ Não fazemos mais?

_ Não.

_ Vamos, tá chegando.

 

Hummm… deixe-me ver… acho que é isso por hoje…rsss…. desculpem-me, mas… foi bem difícil pensar em algo com sentido…rssss!!!

Beijocas,

Feliz ano novo sempre!

Renata

 

 

#PHPoemaday- Dia 17: Um sorriso

Cabe um sonho

Cabe um desejo

Cabe uma Lua toda

No profundo do seu sorriso

Tem amor

Tem carinho

Tem muito beijinho

No profundo do seu sorriso

Quanta alegria

Quanta festa

Quanta cosquinha

No profundo do seu sorriso

Foi a partir de você

Foi quando você chegou

É tão  lindo ter você …

Olhar e ver no seu  sorriso

O tanto que eu tenho de sorte

Pelo mais lindo presente:

Um sorriso banguela!

DSCN3874

Para o Paulinho!

Beijocas,

Feliz ano novo sempre!

Renata – a coruja

#PH #Poemaday- Dia 16: Um medo

Olá pessoal, tudo bem? Segunda- feira com uma carinha diferente essa né?

Semana curtinha e todo mundo  empolgado…rsss!

Hoje o tema do poem a day é medo… e quem não os tem não é verdade? Pensei na primeira coisa que me veio na cabeça: barata! Ai eu disse, não, não é poético. Ladrão. Não, aqui não… Morte! Não, também não…

Foi quando eu lembrei da história do Chico Buarque, Chapeuzinho Amarelo, e mato dois coelhos com uma cajadada só. Não que eu mate coelhos, ok? Força de expressão.

Estamos na semana de comemorações dos 70 anos do Chico Buarque (biografia) e com essa história que fala sobre o medo que a menina tinha e como ela reverte a situação e vence o seu medo venho singelamente homenageá-lo! Parabéns Chico!!

Então, preparem-se porque aí vai a minha contribuição. Espero que gostem e comentem comigo. Como foi inspirada na história, aconselho a você ler, é muito bonitinha, mas não posso dar um spoiler aqui para quem não leu. Tudo bem? Obrigada pela compreensão.

Título: Medo

MEDO ?

DOME.

 

Beijocas, feliz ano novo sempre!

Renata

#PH #Poem a day-Dia 15: Um gênero nunca escrito

Pessoal, meu drama a cada dia cresce mais nesse desafio em que me meti…rsss…

Hoje o tema é um gênero nunca escrito antes, e na verdade, eu nunca me aprofundei em nenhum gênero, então poderia escrever em qualquer deles…certo?

Mas, estou querendo escrever uma pequena história infantil. Todos esses anos lendo, lendo, lendo, e nunca tentei escrever antes, apesar de inventar histórias para os alunos, adaptar outras para a igreja no ministério infantil, nunca parei assim, para só escrever para as crianças uma história para apreciação, certo?

Vou tentar e espero que vocês me digam o que acharam…

 

leitura

 

Menina Noca quer andar de bicicleta

Ela era uma menina, muito, muito engraçadinha.

Fazia sempre aquilo que a mãe e o pai mandavam, sempre boazinha.

Na escola, a professora elogiava:

_ Que menina sabidinha!!! Espertinha!

Os amigos também gostavam de brincar com ela, pois com todos dividia seus brinquedos e ideias de brincar!

Quanta criatividade! Ela brincava mesmo, sem parar!

Para ela tudo era uma aventura!

Na sua cabeça obedecer o pai e a mãe era uma aventura de escalada…

Ir bem na escola: atravessar o rio com jacarés…

Brincar e divertir-se com amigos, era andar de bicicleta…

Só que escalar, ela já havia escalado um grande murão no fim da rua 12, e quando caiu só ralou o joelho.

Atravessou o córrego do bairro da vó, e estava cheio de  girino… de verdade! Ainda perdeu o seu chinelo na travessia da pontinha de madeira. Mas nem chorou, não…

Agora, o seu grande sonho, era andar de bicicleta mesmo…porque o triciclo já não cabe mais as suas perninhas… uma bicicleta grande e vermelha, mas com rodinhas de apoio…

_ Pedalar… deve ser bem divertido! – pensou Noca, enquanto brincava alegremente com seus amigos, vencendo mais essa etapa do dia.

O tempo passou…

Olha! O Natal chegou!!

Seu sonho então se realizou!

Noca ganha da tia Raimundinha a tão sonhada bicicleta grande e vermelha e ainda com rodinha.

Pedala, pedala, Noca, para chegar até aquela nuvem!!!

Nos seus sonhos Menina Noca, não estava mais pedalando, mas pilotando um avião sem ferrugem!

?????????????????????????????????????????????????????????????????

Feliz ano todo!!!

Renata.

#PHPOEMADAY- Dia 14 : Textos das amigas do grupo

Tema: O que queria ter dito

Desde aquele dia, que não sei exatamente qual foi, o ultimo dia em que te vi, que te toquei, que pude ouvir tua voz, e que você pode me ver, me tocar, me ouvir, eu sinto tanta coisa. É um eterno buraco negro de emoções.
Eu não queria ter desistido. Creio que se estivesse escrevendo isso há um ano atrás, estaria com muita raiva, e não perceberia o que realmente queria ter lhe dito.
Me desculpe. Me desculpe por ter desistido de você. De mim. De nós.
Porque eu realmente desisti.
No momento, creio que tenha me recuperado, mas nada nesse mundo vai mudar o que eu estraguei naquele dia, o que nós estragamos naqueles dias.
E eu lhe perdoo. Mesmo. Porque eu te conheço, e sei o quanto se culpa ainda por tudo aquilo.
Eu sinto tanto a sua falta. Não tanto quanto antes, mas eu sinto ainda. Poderia listar mil coisas das quais sinto falta em você, da gente, mas infelizmente isso depreciaria demais meus leitores para que terminassem este texto.
Sinto falta de ouvir suas histórias durante nossas tão curtas horas. sinto falta do fim que não aconteceu e que me ponho sempre a imaginar.
Sinto falta da despedida que não foi dita, e que mais que tudo neste mundo, queria que tivesse sido dita. Mas acima de tudo, sinto falta do amor, que você levou embora junto com sua pele macia, seus conselhos inconsequentes, suas promessas quebradas e sua inebriante doce voz.
Sinto, apenas sinto.

Sarah Rigby. ( A Sarah escreveu a poesia ouvindo a música Say Something do A Great Big World, é cheia de significados e a letra é praticamente escrita pra ela e pra essa história!
https://www.youtube.com/watch?v=BmErRm-vApI

“Como eu queria…

Queria dizer que não me prendo mais a você
Que não é mais importante na minha vida, e que já não sou tão dependente de você
Mas não é verdade. Estou presa a você, como um prisioneiro a corrente.
Quando não te tenho sinto tua falta, e quando te tenho não é o suficiente!

Quantas vezes quis jogar tudo pro alto, mas sem você me sinto solitário
Por que quando você não se faz presente, eu me sinto impotente,
Meu pequeno salário”

Letícia Aires. Blog:Le Versos & Controvérsias

Obrigada por tudo meninas!!!

Beijão!

Pessoal, estou perdoada mesmo, né?

Feliz ano novo sempre!!!!

Renata

#PH Poem a day – Dia 13: Personagem literário

Hoje minha contribuição ao projeto teve que ter uma pequena pesquisa…rsss…

Gosto de haikais, mas não entendia a métrica… passa uma ideia direta, objetiva e clara… mas diferente do cordel, geralmente não rima…

Nas minhas pesquisas encontrei um vídeo bem legal que explica em 25 minutos como é a ideia do haikai no Brasil (já que na origem japonesa, sim, deveríamos obedecer a regra de cinco sílabas, sete sílabas e cinco sílabas).

Vou linkar aqui caso mais alguém se interesse… Vale a pena assistir, pois a professora vai explicando várias definições interessantes sobre poesia.

Resumindo (muito) o que ela disse, o haikai deve trazer temas simples, no primeiro verso a ideia seja permanente e eterna, no segundo verso que introduza uma novidade, e no terceiro e último verso a síntese dos dois outros versos. Essa então seria a base do haikai.

Pensando assim, vou falar que hoje o meu personagem literário será o Zezé, do livro O meu pé de laranja lima , do José Mauro de Vasconcelos… todas as vezes que eu leio, ou só lembro da história meus olhos já marejam… certo? Mexe muito comigo… Espero que gostem!!

 

Ciclo da Vida

Portuga, meu exemplo

Pai que também hoje sou

Olho para o futuro e contemplo.

 

Gostaram?

Conhecem a história ? Espero que sim…se não foi spoiler total…kkkk!!!!

Beijinhos,

Feliz ano novo todo dia!!

Renata.

 

 

#PH Poem a day- Dia 12: Inspirado em uma música

Oi pessoal, este desafio vai atrasado porque ontem fiquei muito mal de uma gripe fortíssima, seguida de muita tosse e estado febril… hoje estou me sentindo melhor e vou postar agora o dia 12 e mais tarde o dia 13, ok? Desculpem…! E obrigada por me acompanhar!!!

 

A música que eu escolhi é “Vento no litoral” da banda Legião Urbana.

Hoje faz um ano

Estou bem

Seguindo em frente

Conforme combinamos

Não vou desistir

O amor é eterno

A esperança não me deixa

O tempo pode um dia trabalhar a nosso favor?

 

É o que temos para hoje..rss… em cada verso magrinho tem muito o que dizer, mas não tem como expressar… essa música fala muito comigo… ainda mais quando ele diz : cavalos marinhos… vocês sabiam que os cavalos marinhos nunca casam-se novamente? Eles juram amor eterno, tem um único amor para vida toda…beijocas!!

Feliz ano todo!!!

Renata.

#PH Poem a day – Dia 11: O sertão

sertão

Eu vou contar prá vocês

A lenda do “Calangão”

Sendo antes cabra forte

Depois bicho se tornou

Isso é intrigante

Você também vai achar.

sertao2

Aconteceu lá no sertão

Lá nas bandas de acolá

Severino um menino

É quem vai lhe contar

Isso porque Calangão

É seu tio parte de mãe

E quem tiver um dinheirinho

Ele vai contar tudinho.

Ele conhece o mistério

Da família do cangaço

Este “home” Zeferino

Sobrenome Ourofino

Metia medo na cidade

Era estilo cangaceiro

lampiao

Zeferino encantou-se

Com uma moça de acolá

Moça que todos “temia”

Ela era moça bruxa

Uma moça sertaneja

Daquelas bem “ligera”

xilo

Zeferino então chamou

Zuleiquinha rejeitou

Ele foi puxar a força

Calangão então virou…

Essa história é de assustar

Mas ensina uma lição

Nunca pegue pela mão

Uma dama de refino

Ainda mais se a tal moça

Pode te virar num bichão!!!!!

 

Pessoal! As imagens de xilogravura eu retirei do Google, pesquisando pela palavra, tem muita imagem legal! Gosto muito do gênero de literatura de cordel…mas meu forte não é a rima, me perdoem, ok?

Beijocas

Feliz ano novo todo dia!!!

Renata.sertao2

 

 

#PH Poem a day – dia 10: O mar

Crédito da foto: Fonte Google- Parque Mar Morto, China

O Zé Mineiro estava muito ansioso, pois seria a primeira vez em 23 anos de vida que veria o mar.

Diziam que era azul, diziam que era salgado, diziam até que a água era quentinha numa parte do dia, e tinha um cheiro inesquecível, de maresia (cheiro que ele ainda não distinguia)…

Ele viu na TV, na sua novela preferida…mas queria ele mesmo sentir de perto o que é aquele mundão de mar, pular as sete ondas como fez o personagem aquela vez… só que ele não contava para ninguém que assistia novela… é coisa de mulher… essa coisa de sonho de ver o mar, também é meio de mulher, mas ele tinha um álibi…foi ver uma obra lá em Vitória, de um prédio novo que vão construir bem em frente ao MAR!

Seu Jacinto, que é o patrão confiou nele e mandou ele com o dinheiro contado, foi de trem… meio desconfortável, mas os olhos brilhantes, querendo chegar logo, no ritmo das ondas…

 

Vou parar aqui… rssss….

Senão vira um livro todo e não um texto poético… dá para imaginar as sensações que ele vai sentir quando chegar e ver aquele povo se espremendo por uma beiradinha de mar…né?

Gostaram?

Espero que sim, e que voltem amanhã…

Beijocas

Feliz ano novo!

Renata

 

#PH Poem a day – Dia 04: Uma paixão

Respirou!

Satisfação…

Hoje o ar está limpo e o clima ameno.

Irá resolver algumas pendências e no resto do dia preparar a surpresa pois ontem não deu tempo. Foi dia de feira.

A feira estava boa, mas os preços ainda estão muito caros…

Passou, entre pensamentos, pelas crianças que brincavam na calçada.

Ah! Foi-se o tempo que brincar era prioridade hein? Quanta saudade! Quantas aventuras na rua de cima, no morro de barro… isso sim era diversão…!

Mas não importa.

Toda fase da vida encara de forma positiva.

E os livros de auto-ajuda?

Esses não ajudam em nada mesmo…

Viver!

Aprender!

Rotina!

Respirar!

Satisfação!