Papo Giz: A língua do Pê

O-po lá-pá! Tu-pu do-po bem – pem?

Se você leu até aqui e entendeu, parabéns! Você é fluente na língua do Pê!

Quando eu era criança minha mãe falava na língua do Pê, bem rápido e eu ficava ali sem entender bulhufas…rssss!

Mas, com o passar dos anos eu comecei a entender como funciona, já que na escola a língua do pê era diferente.

P-e P-ra P-as P-sim:

P-vo P-cê P-co P-lo P-ca P-a P-le P-tra P-P P-an P-tes P-da P-sí P-la P-ba.

Eu prefiro do jeito da minha mãe. Fica mais sonoro, parece mesmo uma outra língua…kkkk

Porque eu classifiquei esse post como papo giz? “Sim, estou de férias!” mas, você sabe que professora e mãe não tiram férias, né…rssss E imagina quem é mãe e professora…nem queira saber…rssss!!! Brincadeirinha…

Classifiquei assim, porque através da língua do Pê podemos explorar vários conteúdos interessantes com os alunos, como por exemplo: a importância da separação das sílabas, porque muitos exercícios para separar as sílabas são sem sentido e as crianças não entendem porque tem que mecanicamente separar sílabas das palavras, e através do jogo do Pê, elas terão que saber exatamente onde as sílabas começam e terminam para executar bem a nova língua e poderem comunicar-se com eficácia para serem compreendidos. Afinal, a regra é que a cada  sílaba o P apareça, ou da primeira forma que eu mostrei:

Re-pe na-pa ta-pa: Renata

OU da segunda forma:

P-re P-na P-ta: Renata

Eu comecei ensinar aqui em casa e o Paulinho já está pegando o macete, rsss… a Mari ainda não…mas com o tempo ela se habitua.

dscn0194Enfim, uma brincadeira oral tradicional, que desenvolve o raciocínio, a criatividade, pode estar inserida em forma de jogos para desenvolver conteúdos na área da linguagem e a criança aprende brincando.

Recado dado!

Es-pes  pe-pe ro-po que-pe vo-po cê-pe te-pe nha-pa gos-pos ta-pa do-po!

Quem-pem gos-pos tou-pou dei-pei xa-pa um-pum re-pe ca-pa-do-po pa-pa ra-pa mim-pim na-pa lín-pim gua-pa do-po pê-pê!

Fe-pe liz-piz a-pa no-po to-po do-po!!!

Renata

Eu sou professora!

Quando iniciei a escrita do blog me encontrava em frangalhos emocionais pedagógicos…digamos assim…rs!

Muita coisa havia mudado na educação da cidade que trabalho e de uma forma diferente que estava acostumada a lidar.

Isso fez com que eu ficasse decepcionada com as ações, com experiências vivenciadas, com o que eu ouvia e com que eu via.

Então entrar aqui neste mundo wordpress me dava uma liberdade de ser eu mesma, “dizer” da forma que eu quisesse, não receber aquele olhar 43 da indignação dos que esqueceram o que é a prática,  e na ocasião não queria de forma alguma ligar esse meu paraíso com o que eu estava vivendo na prática.

Então, tudo o que eu falei aqui, vinha de experiências como mãe, esposa, curiosa, pesquisadora, menos aquilo que eu mais me preparei para fazer na vida…kkkk!!!!

Vou contar para vocês, são 21 anos de ofício! Estou dobrando o cabo da boa esperança do magistério…rsss… Tenho muita história para contar para quem quiser ouvir…rs

Vocês podem me perguntar:

_ Vale a pena passar por tanta pressão psicológica para viver em uma profissão que não é valorizada de modo algum hoje em dia?

Quantos exemplos trágicos estamos vendo na mídia…né?

E nesse espaço, quero demonstrar que estou me curando dessa decepção que vivi estes últimos tempos e procurar dialogar mostrando as pessoas queridas que pensam no magistério como um alvo, como uma meta, como uma missão de vida, que apesar dos pesares, sim vale a pena.

Então, de vez em quando vamos ter o Papo Giz, kkkk!!!

Hoje foi a introdução para contextualizar os momentos que vivi e o que estou superando no dia a dia. A minha luta foi particular e tanto meus alunos, quanto a comunidade que atendi, quanto os meus registros burocráticos foram todos honrados. Deus sabe! Deus me dando a mão e andando comigo.

Beijocas e estou muito feliz em poder compartilhar com vocês esse meu momento.

Vou colocar essa foto, porque estava tudo cinza e de repente e devagar vai tudo colorindo…

Eu, professora

Eu, professora 

Feliz ano todo!

Renata –

 

Primeiros passos

Oi pessoal!

Tudo bem com vocês? Final de semana promete né? Sábado, domingo… muita paz e descanso para vocês…

Queridos, o ser humano “mãe” é definitivamente muito coruja…quem concorda?

Para comprovar isso, trouxe esses manuscritos do Paulinho, que ontem à noite me pediu para ajudá-lo com umas perguntinhas (palavras dele, tá?) para saber se as crianças são do caminho do bem ou do mal…. Ele próprio criou as perguntas…

Eu não soletrei, após ouvir o que ele queria perguntar ia silabando cada palavra da frase que ele queria escrever… e o resultado foi esse (colocarei a legenda do que ele queria escrever):

Você mente?

Você mente? 

Você fala a verdade?

Você fala a verdade? 

wpid-20140905_133243.jpg                                        Você obedece a Deus?

wpid-20140905_133302.jpg                                      Você fala palavrão? ( a sílaba vrão eu ajudei…kkkk)

 

 

 

wpid-20140905_133326.jpg                               Você machuca os animais? ( ele me perguntou quantos “os” e “is” ele deveria colocar para escrever os e animais…kkkkkk!!!!

Muita fofura para pouca mãe!!!

Beijocas!

Feliz ano todo!

Renata – coruja mor